Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Em Português Correcto

Blog interactivo onde se pretende dar resposta a questões sobre o português falado e/ ou escrito

Moem ou moiem?

- Elas moem o cereal.

ou

- Elas moiem o cereal.

 

A forma correcta é moem. Os verbos terminados em –oer não têm “i” na terceira pessoa do plural do presente do indicativo.

Outros exemplos:

Doer – Os ouvidos doem-lhe muito.

Roer – Os ratos roem as cordas.

Negoceia ou negocia?

- Ele negoceia o crédito com o banco.

ou

- Ele negocia o crédito com o banco.

 

Na verdade ambas as formas são válidas. O verbo remediar aceita duas formas de conjugação:

Eu negoceio                           Eu negocio

Tu negoceias                          Tu negocias

Ele negoceia                           Ele negocia

Nós negociamos                     Nós negociamos

Vós negociais                                     Vós negociais

Eles negoceiam                      Eles negociam

 

O mesmo acontece com os verbos: cadenciar, comerciar, diligenciar, licenciar e sentenciar. Exemplos:

- Eles comerciam tulipas. / Eles comerceiam tulipas.

- Ele licencia a obra. / Ele licenceia a obra.

Erros de pronúncia

Como pronuncia as palavras destacadas?

 

- Suponhamos que tudo se passou como dizes, mas como justificas isto?

- Espero que tenhamos sorte.

 

Ao contrário do que se ouve por aí, devemos dizer “suponhamos” ( e não supônhamos) e “tenhamos” (e nunca tênhamos). Estes erros têm a ver com a analogia que fazemos com outras formas verbais, por isso devemos ter atenção à pronúncia:

 

Ponha                         tenha                              

Ponhas                        tenhas            

Ponha                         tenha

Ponhamos                  tenhamos

Ponhais                      tenhais

Ponham                      tenham

Número ou numero?

- O número de telefone que me deste está errado.

- Eu numero sempre os meus apontamentos.

 

As frases acima apresentadas contêm duas palavras muito semelhantes quanto à forma, diferindo apenas numa coisa: o acento. Com efeito, este é um pormenor que faz toda a diferença, pois ao colocarmos um acento no “u” temos um nome, sinónimo de algarismo, se o retirarmos obtemos uma forma do presente do indicativo do verbo numerar.

A acentuação altera a pronúncia das palavras: “número” tem o “e” fechado (número) e “numero” tem o “e” aberto (numero).

Há outros casos semelhantes a este. Observe o quadro:

 

Nome

Forma verbal

Nome

Forma verbal

Anúncio

Anuncio

Lástima

Lastima

Comércio

Comercio

Notícia

Noticia

Cópia

Copia

Exército

Exercito

Débito

Debito

Página

Pagina

Fórmula

Formula

Renúncia

Renuncia

Hábito

Habito

Súplica

Suplica

Indústria

Industria

Trânsito

Transito

 

Como deve ter verificado, o nome leva sempre acento e a forma verbal não leva.

Exemplos:

 

- O anúncio está bem visível. / Eu anuncio sempre no Diário de Aveiro.

- A cópia está quase perfeita. / Ele copia o texto.

- Ele tem o hábito de ler o jornal. / Eu habito num prédio de cinco andares.

- A notícia é elucidativa. / O jornal noticia que a gasolina vai baixar.

Tacha ou Taxa?

- Estás sempre a arreganhar a taxa!

 

Arreganhar a taxa? Não! A expressão escreve-se correctamente assim: “arreganhar a tacha”. Anote outras utilizações de taxa e tacha:

 

·         Tacha = prego curto de cabeça chata.

Exemplo: Pus uma tacha na porta do móvel.

 

·         Taxa = tabela de preços, imposto, percentagem, juro.

Exemplo: Tive de pagar uma taxa para usufruir deste serviço.

Detrás ou De trás?

- Esta situação já vem ______________.

 

Devemos aqui utilizar “detrás” ou “de trás”?

Veja quando deve escrever junto e quando deve escrever separado:

 

- Detrás escreve-se junto quando é advérbio ou preposição, como nos exemplos:

 

·         O Miguel surgiu detrás. (=lugar donde surgiu)

·         O Miguel surgiu por detrás. (= lugar por onde surgiu)

·         O Miguel surgiu detrás da casa. (=lugar donde surgiu)

 

- De trás é uma locução adverbial designativa de lugar e/ou espaço, que se pronuncia e escreve separadamente:

 

·         O cliente examinou o casaco da frente e de trás. (=lugar onde examinou o casaco)

·         Este problema não é de hoje, já vem de trás. (=de tempos atrás)

 

Assim:

 

- Esta situação já vem de trás.

Empoçar ou Empossar?

- Barak Obama foi empoçado presidente dos Estados Unidos.

 

A frase acima apresentada está correcta?

Repare:

 

·         Empoçar = formar poça. Exemplo: A água era tanta que empoçou.

·         Empossar = dar posse a. Exemplo: O presidente empossou os directores da empresa.

 

Portanto, a frase não está correcta. Esta é a forma certa:

 

- Barak Obama foi empossado presidente dos Estados Unidos.

Regras de uso do hífen com prefixos e radicais. – 2

No artigo anterior vimos que se separam com hífen da palavra primitiva os prefixos acentuados como acontece com a palavra “pré-aviso” e outras regras.

Como esta é uma questão complexa e que suscita muitas dúvidas, deixo-vos um quadro com os principais prefixos e as regras quanto ao uso ou não de hífen.

 

Prefixo

Separa-se

Não se separa

Ab-

Ad-

Ob-

Sob-

Quando o 2.º elemento começa por um r. Exemplos: ab-rogar; ad-rogar; ob-reptício; sob-roda

Todos os outros casos: abdicar,  abjurar, adjacente, advir, obcecação, obturar; sobposto…

Ante-

Entre-

Sobre-

Quando o 2.º elemento tem vida própria e começa por h. Exemplos: ante-histórico; entre-hostil; sobre-humanizar

Todos os outros: anteceder; anteproposta, anteontem, antessala, entreaberto, entrelinha, sobreaviso…

Anti-

Arqui-

Semi-

Quando o 2.º elemento tem vida própria e começa por h, i, r ou s. Exemplos: anti-histórico, anti-ibérico, anti-racional, arqui-secular; semi-recta

Todos os outros: antiaéreo, antiespiritual, arquitrave; semiaberto, semiconsciente…

Auto-

Com-

Contra-

Extra-

Infra-

Intra-

Neo-

Proto-

Pseudo-

Supra-

Ultra-

Quando o 2.º elemento tem vida própria e começa por vogal, h, r ou s. Exemplos: auto-acusação, auto-retrato; com-hospedado; contra-resposta; extra-escolar; infra-som; intra-arterial; neo-romântico; proto-renascimento; pseudo-intelectual; supra-renal; ultra-humano

Todos os outros: autobiografia; comporta; contrabando; extracomercial; infravermelho; intracelular; neoclássico; protoplasma; pseudociência; supranatural; ultramoderno…

Bem-

Quando o 2.º elemento começa por vogal ou h, ou consoante mas com perfeita evidência de sentido. Exemplos: bem-aventurado, bem-educado, bem-humorado

Todos os outros: bendizer, benfeitor…

Circum-

Quando o 2.º elemento começa por vogal, h, m ou n. Exemplos: circum-navegação

Todos os outros: circumpolar, circunvalação…

Co-

Quando tem o sentido de a par e o 2.º elemento possui vida própria. Exemplos: co-arguido, co-inquilino

Outros: coexistência, coincidência…

Ex-

Quando tem o sentido de estado anterior ou cessamento. Exemplos: ex-ministro, ex-marido

Outros: exportar, expelir…

Hiper-

Inter-

Super-

Quando o 2.º elemento tem vida própria e começa por h ou r que não se liga foneticamente ao r anterior. Exemplos: hiper-humano, hiper-rugoso; inter-racial; super-homem

Outros: hipermercado, hipertensão; interacção, interregno; superprodução…

Mal-

Pan-

Quando o 2.º elemento tem vida própria e começa por vogal ou h. Exemplo: mal-educado, mal-humorado; pan-americano

Outros: malcriado, maldisposto; pangermanismo…

Sem-

Quando na sua pronúncia se ouve “ãi” e o 2.º elemento tem vida própria. Exemplo: sem-número, sem-sabor

Outros: sensabor, senfilista…

Além-

Aquém-

Pós-

Pré-

Pró-

Recém

Separa-se sempre porque tem acento gráfico. Exemplos: além-mar, aquém-fronteiras; pós-guerra; pré-história; pró-forma; recém-casado

 

Preaviso ou pré-aviso?: regras de uso do hífen com prefixos e radicais.

- Os trabalhadores fizeram um ______________ de greve.

 

Escrevemos “preaviso” ou “pré-aviso”?

Os prefixos ou radicais acentuados como “pré” separam-se sempre por hífen. Exemplos:

 

Além – mar

Pós-guerra

Pré-aviso

Pró-ordem

Recém-casado

 Há outros casos em que o prefixo se separa:

 

a)      Quando a outra palavra começa por vogal, h, r ou s:

 

- Auto-estrada

- Contra-relógio

- Infra-estrutura

- Pseudo-intelectual

- Ultra-rápido

 

b)      Para evitar má-leitura:

- Sub-região

- Super-requintado

Analisar ou analizar?: verbos terminados em –isar e –izar

 Por vezes surgem-nos dúvidas em relação a formas verbais com este tipo de terminação. Será que se escreve analisar ou analizar? Com “s” ou com “z”.

Há uma regra que nos pode ajudar nesta dúvida:

 

- Os verbos terminados em –isar são, em geral, formados a partir de palavras que já têm um “s”. Assim:

 

Análise - analisar

Liso – alisar

Piso – pisar

Preciso – precisar

 

- Os outros verbos escrevem-se com “z”:

 

Civil - Civilizar

Fértil – fertilizar

Inútil – inutilizar

Natural – naturalizar